sábado, 17 de janeiro de 2009

Frágil I

Não sei o que há de certo na vida além de sua fragilidade. Como somos reféns de catastrofes naturais, que vão desde enchentes a uma parada cardíaca.
Nosso corpo, nossa ferramento de trabalho nesse labor que é a vida, é sucetível a qualquer pequeno desiquilíbrio que venha do seu exterior ou interior. Nossa mente, que não deixa de ser parte de nosso corpo, também sofre constantemente com tais desarmonias.
A resposta para tudo é que somos frágeis. Devemos entender essa fragilidade e revertê-la a nosso favor. Como? Aproveitando nossas curtas e débeis vidas.

2 comentários:

°annE °criS disse...

"Aproveitando nossas curtas e débeis vidas". Exatamente.... aproveitando, curtindo, vivendo! E pra viver... temos que deixar as coisas acontecerem, temos que nos preocupar menos e ousar mais, sermos otimistas e não ficar pensando sempre no que de pior pode acontecer, como verdadeiros DEUSES da nossa própria existência... por que é isso que realmente somos...

Rodrigo Bentancurt disse...

Concordo. Somos os deuses de nossas existências.