terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Barack


Hoje presenciamos a posse do novo presidente estadounidense, Barack Hussein Obama II, sugestivo sobrenome, não?. É uma novidade insuperável um negro presidente da nação mais rica do mundo, ainda mais se pensarmos que é um descendente de árabes em um país, que como todos sabemos, sempre exerceu um massacre contra negros e orientais.
Creio que todos que, de certa forma, acompanhamos a corrida presidencial norte-americana, torcemos por Obama, por um membro do Partido Democrata, embora na maior democracia do mundo esta palavra tenha um significado bastante dúbio. Mas isto não é o essencial do post de hoje. Todos queríamos o fim do império Busch. Um governante que se aproximou aos ditadores e causou alguns milhares de mortes mundo afora em um tempo de crises e chacinas que abalaram o mundo. Que o presidente que hoje assume terá uma postura diferente é inegável, se não tivermos ouvido somente promessas, mas para nós o quão diferente vai ser?
Como latino-americanos não creio que mudará para melhor, senão virmos uma piora de nosso quadro sócio-econômico. Pois, este presidente eleito por ianques governará para eles e fará de tudo para tirá-los da crise na qual se encontram. Isso quer dizer, em minha visão pessimista, menos gastos com importações o que significa os países de nosso continente exportando menos, levando a uma diminuição da receita das nações latino-americanas e cortes na área social.
Não sejamos egoístas e pensemos que uma tentativa de fim de guerra, uma redução, na qual não acredito, de apoio a Israel significa salvaguardar a vida de milhares de humanos, porém, esperemos que isso não seja a morte por inanição de outros milhares.

2 comentários:

Argus disse...

É meu irmão, venho refletindo sobre os reais benefícios que teremos com a eleição do Sr.Obama, pois como bem dissestes"este presidente eleito por ianques governará para eles e fará de tudo para tirá-los da crise na qual se encontram.".Contudo reconheço o fato histórico, mas sem dúvidas o que mais desejavámos era o fim da era Bush, que além das guerras infames que provocou, foi o "ir"responsável pela própria crise econômica que o mundo hoje enfrenta com a sua politica de mercado livre, não que eu seja contra, mas quando o que está em jogo é o bem e os bens comuns, te que haver vigilância, e é para isso que existem os governos, ou deveriam existir.

Rodrigo Bentancurt disse...

Tens razão. O fim da era Bush era algo por que ansiávamos há tempo. Mas na política econômica os democratas são muito mais ligados ao mercado especulativo o que pode ocasionar uma recessão no setor produtivo. Contudo, espero que um filho de africano e de origem árabe pense mais nas minorias.