domingo, 11 de janeiro de 2009

Passagem da vida


É difícil perceber quando estamos passando de uma fase para outra de nossas vidas. É doloroso observar que as coisas estão mudando para nós e, nesses momentos, damo-nos conta que, quando essas coisas aconteceram outrora, foram mais fáceis.

Então, no dia em que não conseguimos considerarmo-nos adultos e nem adolescentes, é porque estamos atravessando essa fase de transição da vida cuja a característica primordial é sentirmo-nos deslocados no mundo. A adolescência é incrível e longa. Quantas experiências exuberantes e terríveis tivemos? Quantos mundos e lugares novos descobrimos e por quantos nos perdemos?Na adolescência não sentimos tanto medo. Eis que a vamos deixando para trás, passamos a ponderar mais, a ser menos ousados, a preferir as comodidades às novidades. Terrível e chata esta fase. Parece-nos que quando deixamos a infância e nos tornamos adolescentes foi mais fácil, porém, também sentiamo-nos deslocados e, embora não ponderássemos tanto, tínhamos a proibição de aventurar-nos por caminhos sinuosos desconhecidos pelos adultos que ponderavam por nós. A única diferença está em que esse período já passou, enfrentamos as dificuldades por ele impostas e, na sua grande maioria, superamo-las, logo ficaram lembranças e o que sentimos tornou-se experiência vivida, o que, talvez, não nos sirva de muito, pois agora temos este dilema que nos corrói a alma: Somos o quê?Seremos jovens adultos ou adolescente retardatários?

Tenho certeza que com o passar do tempo essa dúvida diluir-se-á e quando estivermos indo para a nossa velhice, refletindo sobre a vida, encontraremos novos dilemas e acharemos este tão despreocupante quanto todos pelos quais já passamos.

9 comentários:

°annE °criS disse...

Nunca tinha parado pra pensar nisso, e agora que pensei, vejo que tenho que concordar. Quando penso em coisas que já passei ou já fiz, algumas não consigo ver em qual momento perdi o medo e segui, pois hoje em situações aparentemente mais simples penso muito mais antes da decisão final. Perece que com o passar do tempo perdemos a confiança em nós mesmos, ou a confiança no mundo. Deve ser por isso que opções que pareciam indiscutíveis antes são consideradas "impensáveis" hoje. Queria sempre ter a coragem dos adolescentes com o conhecimento dos adultos. Não sei se seria mais feliz, mas teria com certeza menos preocupações.

Rodrigo Bentancurt disse...

Concordo. Acho que começamos a pensar demais nas coisas, a criar barreira, enfim racionalizamos muito e sentimos pouco

Gabi disse...

Só pra descontrair um pouco: rodi, sempre preservando a mesóclise né, amigo...

hehehehehe

Tinha que vir a cabeçuda avacalhar com o papo sério, mas foi tu que deu liberdade pra fazer o que quiser, láááá na primeira postagem. Por isso, to me sintinu im ksa

Rodrigo Bentancurt disse...

Exatamente, Gabi...É pra isso mesmo este espaço. Então, vou concordar, eu adoro uma mesóclise, ela não pode acabar.

Josi disse...

Bah, curti muito o blog. a reflexão perfeita! penso muito nisso. vou virar tua seguidora!!bjs!

Rodrigo Benatancurt disse...

Que bom que tu gostaste, Josi. Seja bem-vinda

Laura Vaz e Anderson Moreira disse...

PEixe... tah sensacional! mas esse post eh o meu preferido! continua assim cara... te desejo toda a inspiração... grande abraço

Rodrigo Bentancurt disse...

Obrigado. Com amogo como vocês, isto vai dar certo. Abraço

FRIDA disse...

MINHA VIDA DEPOIS DE MIM

Esse sem duvida é o melhor encontro,encontro do qual não podemos nos furtar,um dia,uma hora,ele acontece. Pode ser que seja intenso já de saída mas na maioria das vezes é garimpado,suado,angustiante.Nós e nós mesmos ali ,nus e crus ,frente a frente.Não é fácil não. Sabermos que nós somos responsáveis por tudo que seremos é foda!! É pesado,é maravilhoso mas é complicado...Porque a vida está a todo momento nos tentando pra refugiar-nos em cavernas ditas seguras,onde a alienação nos conforte e a as injustiças do mundo não pese sobre nós. E muitas vezes encontramos desculpas perfeitas ,viáveis ,conseguimos enganar a nós mesmos e os anos vão passando....mas ela está sempre ali,latejando ,dia-a dia, nos sufocando ....ALMA,até conseguir libertar-se ou não