terça-feira, 14 de julho de 2009

Férias

Férias! É bastante bom estar em férias embora elas sejam parciais. Contudo, parece-me que, como tudo na vida, há pessoas para as quais as férias são únicas e melhorarão seu rendimento no próximo semestre, ou ainda apagarão da memória coletiva alguns fatos, por isso seria bom celebrar o começo das férias em uma pizzaria.
Refiro-me ao fato de que, assim como as instituições educacionais, o congrsso entra em férias no meio do ano. Porém, diferentemente dos estudantes, os congrssistas ganham muito dinheiro para trabalhar de terça a quinta. Nada mais merecido, haja vista, serem eles os representantes de aproximadamente 200 milhões de brasileiros. Representam-nos com sagacidade e ética, pensam no coletivo jamais em si mesmos, têm a possibilidade de aumentar os seus próprios salários e tudo que fazem é às claras, nunca fariam nada por meio de atos secretos. Confiamos na reputação da casa, ou, dependendo do senador, na do castelo. Outra convicção que temos é que deputados e senadores nunca empregariam parentes em um ato de nepotismo, isso está longe do DF.
Este semestre foi assaz conturbado para os nossos excelentíssimos parlamentares, houve calúnias, difamações de uma opinião pública que não deve ser levada a sério, afinal estamos lixando-nos para ela. Mas, a pizza já está no forno e o tempo para ficar pronta é de: período de férias. A opinião pública esquece-se dos escândalos ou surgem novos que suplantam os antigos e somente nos resta fatiar a pizza e comê-la quente.
Um minuto! Agora me ponho a pensar: de onde vêm os congressistas? Não são eles, por acaso, brasileiros também? Não são parte integrante de nossa sociedade? Não somos nós que os pomos lá com um dedo e depois esquecemo-nos do mivimento dáctilo que fizemos frente à urna, ou, simplesmente, ignoramos e não mexemos uma palha para mudar algo? Fedemos. Todos! Nós e eles, porque eles somos nós! Infelizmente, a grande obra do congresso é apenas a de Niemeyer, de resto é uma pocilga e deveríamos ver-nos lá!

Um comentário:

°annE | Q Mania BRECHÓ disse...

O que fazemos é praticamente como reclamar do "cheiro do ralo"... não?? E como a grande maioria pensa não poder resolver, acabamos nos acostumando com o fedor...