terça-feira, 21 de setembro de 2010

Primavera

Hoje é a entrada da primavera. No Brasil, não damos muita importância a essa data, ao passo que, em países como a Argentina, 21 de setembro é dia de folga para os estudantes, que se reúnem nas praças, fazendo piqueniques. Neste 21, nesta cidade sulina, Santa Maria, a primavera foi recebida com clima outonal, chuva, vento e temperatura abaixo da que já nos acostumáramos. Não, não, não, esta não é uma postagem meteorológica.
Quero, na verdade, retornar à pauta que vem sendo tratada nas últimas postagens do blog, as convenções. O nosso tempo moderno é linear, desloca-se para frente sem que haja repetições ou retornos, já para os gregos o tempo era cíclico. Havia um eterno retorno ao nascimento, simbolizado pela primavera. Assim, o nascimento era a primavera, passando pelo auge no verão, agonizando no outono, morrendo no inverno para renascer na primavera.
Essa noção implica uma perspectiva diferente da que temos. Somos levados a entender a existência, a história e tudo que esta última leva consigo, como uma construção progressiva que nos carrega para o fim. Vemos, no futuro, o fim, o ponto final e não a possibilidade de uma renovação, de que todo o fim é um recomeço embora esse recomeço seja sem nós.
Toda essa fala em catadupas é apenas para dizer que a percepção do tempo muda e com ela a nossa percepção de nós mesmos e da existência. Seja bem-vinda, primavera. Mais um recomeço em nossas vidas.

10 comentários:

Adriano disse...

Grande verdade!

Recomeçar! Algumas métaforas relatam que todo amanhecer é um novo recomeçar,como são metáforas não são passiveis de análise profundas. Caminharíamos em ciculo!

Me parece que para recomeçar, é preciso deixar em algum lugar do tempo, o passado. A maioria de nós, errantes andarilhos, tenta levar para o recomeço, o passado, como se carregando-o em nossa mochila, pudéssemos modifica-lo. Vejo isso claramente, as pessoas acreditam que fazendo de maneira diferente, modificarão o passado. Não, modoficarão o futuro.

Não sei se na primavera é o recomeço, afinal muitos alcançam seu auge no inverno!

Laris. disse...

Ganhou uma leitora. Fascinada, por tantas coisas - entre a primaveira.

Paula Figueiredo disse...

Shanti!
Welcome spring and all it will bring!
And let's trust life!
Namastê Rodrigo!

Rodrigo Bentancurt disse...

Concordo, Adriano, mas a questão da primavera era uma percepção grega, além de ser um símbolo do ressurgimento.
Abraço.

Rodrigo Bentancurt disse...

Fico bastante feliz, Laris.
Seja bem-vinda.
Abraço.

Rodrigo Bentancurt disse...

Welcome!
Abração, Paula.

Juh Culau disse...

Adoro primavera! heheeh
*Comentário mais para dizer q passei e te li^^e gostei do que li!
bjao meu bruxo!

Rodrigo Bentancurt disse...

Obrigado, Ju.
Gosto quando tu les.
Beijão.

Adriano disse...

Claro meu caro Rodrigo, assim como a fábula da Fênix!

Recomeçar é progredir, amadurecer com os erros.

Lembrando Che Guevara: ”Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera inteira”.

Abraço!

Rodrigo Bentancurt disse...

Exatamente, Adriano. Concordo contigo.
Abraço.