sábado, 21 de novembro de 2009

Já passamos

Nos últimos dias, estão aparecendo pessoas, neste espaço, que antes não o freqüentavam. Junto à satisfação deste "escrevedor", há a noção de como a escrita é poderosa, e a internet capaz de divulgá-la. Quando escrevemos, temos um leitor ideal que compreenderia o texto na sua totalidade, lê-lo-ia com os nossos olhos, aceitando-o ou não. Porém, quando aparecem os leitores reais, tão diversos, de tão diferentes lugares, com opiniões tão distintas, fazem-nos perceber que há quem leia este espaço, embora existam leituras muito, mas muito mais atrativas para se fazer. É interessante notar que os leitores aparecem, comentam, concordam, discordam ,mas, acima de tudo, manifestam-se, porque esse é o objetivo do blog. Então, agradeço-lhes, desde já, a participação em Pensamento Fascinante, pois além de mostrarem que há leitores, estes permitem que vislumbremos o quão claro ou obscuro, no nível de compreensão, é o texto.
Obviamente que, neste espaço, a postagem não seria, somente, satisfação. Comicamente, chama-se este blog de espaço, claro que um espaço virtual também é um tipo de espaço, mas tudo o que está escrito na internet e, apenas na internet, é poderoso como palavra, somente e tão somente, neste suporte. Imaginemos um futuro não muito distante, no qual os e-books (há pessoas que os lêem) substituam os livros, que a escrita seja toda na internet, que não tenhamos materialidade da escrita. Em um futuro mais distante, que o anteriormente mencionado, mas tampouco muito distante, haja uma crise ambiental (engraçado o uso do subjuntivo do verbo haver) e esgotem-se todas as fontes de energia, por conseguinte a internet acabe, os meios de transporte mecânicos tornem-se inúteis, logo os alimentos não chegariam mais às cidades e a maior parte da população mundial não resistiria. Gerações depois, será, praticamente, impossível resgatar os escritos desta época, logo impossível resgatar esta época. Os primitivos tinham a escrita rupestre e daí se pode recuperar noções ddo seu modo de vida e, inclusive, de pensamento dessa época. E nós, que alcançamos um grau inigualável na escala evolutiva, seremos os mais fugazes a termos passado pela Terra. Não seremos conhecidos, não saberão como nos organizávamos e como pensávamos. Ou, talvez, sabê-lo-ão, pois nosso tempo é o do efêmero, existem elementos antiqüíssimos de dois minutos atrás, tudo é passageiro, nada se consolida. Destarte, ao não saberem nada de nós, saberão muito.

Um comentário:

°annE | Q Mania BRECHÓ disse...

Adorei este post.... e como um simples corte de energia pode gerar o tão temido "Fim".